(Tudo Sobre) “4”, O Novo Álbum de Slash

O novo álbum de Slash, ao lado de Myles Kennedy e dos Conspirators, vai ser editado dia 11 de Fevereiro de 2022, através da Gibson Records, em parceria com a BMG. “4” é o quinto trabalho a solo de Slash e o quarto acompanhado exclusivamente pelas vozes de Kennedy, as baterias de Brent Fritz, os baixos de Todd Kerns e as guitarras de Frank Sidoris. A acompanhar o disco, a Gibson vai lançar um exclusivo e limitado modelo Slash Les Paul Standard 4 em Translucent Cherry.

A notícia foi avançada por Myles Kennedy em entrevista à Audio Ink Radio. O vocalista confirmou que o quinto álbum da banda de Slash e sucessor de “Living The Dream” (2018) estava pronto, numa entrevista em Julho passado. «Gravámos um álbum há alguns meses e está pronto. Acho que o objectivo é apenas lançá-lo quando o momento for apropriado. Espero que no próximo ano que vem, no começo do próximo ano», explicou Kennedy. Sobre a sonoridade do sucessor de “Living The Dream”, o Kennedy explicou que tem um «ambiente ao vivo». «Gravámos de uma maneira old school. Dito isto, sem contar demais, definitivamente tem um pouco dessa energia e dessa vibe que muitos de nós escutámos na juventude. Foi um álbum divertido de se fazer», finalizou Myles Kennedy. O novo álbum de Slash feat. Myles Kennedy and The Conspirators marca a estreia da editora da Gibson, um novo projecto da lendária marca de guitarras da qual o guitarrista dos Guns N’ Roses é embaixador.

Nos últimos 127 anos, o nome da Gibson confunde-se com a história da construção e desenvolvimento de guitarras eléctricas e acústicas e outros cordofones. Agora, a empresa deu um novo passo com o lançamento da Gibson Records, sediada em Music City, Nashville, TN, juntamente com uma parceria estratégica com a BMG. Ao longo dos últimos dois anos e meio, a Gibson lançou iniciativas musicais de sucesso construídas em torno das suas marcas icónicas, guitarras premium e artistas espantosos, já para não mencionar as iniciativas que revitalizaram a base de fãs da Gibson e a comunidade musical em geral, incluindo a Gibson Artist Collections, a Gibson TV, a Gibson App, o Gibson Generation Group (G3), a Gibson Gives e a recentemente inaugurada Gibson Garage em Nashville. A Gibson Records foi a iniciativa seguinte, para contribuir para a evolução das parcerias de colaboração entre artistas.

A Gibson Records anunciou também, na sua apresentação, que estabeleceu uma parceria estratégica com a BMG, a quarta maior empresa de música do mundo e Slash como o primeiro artista a ser editado. «Lançar uma editora discográfica ao serviço dos nossos artistas é a evolução natural dos nossos 127 anos de história. A Gibson Records irá trabalhar com artistas da Gibson para captar, gravar e promover a sua música sob uma parceria amigável com os artistas», diz Cesar Gueikian, Presidente da Gibson Brands. «A Gibson Records irá manter todos nós na Gibson concentrados. Estamos entusiasmados por lançar a Gibson Records, por anunciar que Slash é o nosso primeiro artista assinado e que entrámos numa parceria de com a BMG». Por sua vez, Slash afirmava que era «uma honra ser o primeiro lançamento da nova Gibson Records», acrescentando: «É com certeza um zénite na nossa parceria e tendo trabalhado tão de perto com a Gibson durante tanto tempo, sei que eles serão uma editora que apoia verdadeiramente os seus artistas de forma criativa. Não só eu, mas todos os artistas com quem eles escolhem trabalhar. É perfeito».

«A parceria com a Gibson Records e a BMG apresenta uma oportunidade excitante e única de explorar novas ideias para a comercialização e promoção de um disco», refere também Jeff Varner, Co-Fundador do Revelation Management Group (e manager de longa data da Slash). «Mostra um compromisso real por parte da Gibson para com a comunidade artística, e servirá de modelo para futuros lançamentos artísticos. O trabalho com Cesar e a equipa Gibson proporcionou uma nova abordagem sobre como podemos apoiar o lançamento de um álbum». «A BMG felicita a Gibson pelo lançamento da sua nova editora e orgulha-se de colaborar com a Gibson Records no seu lançamento inaugural», diz, por fim, Thomas Scherer, Presidente, BMG Repertoire and Marketing, Nova Iorque, e Los Angeles. «Esta é a combinação perfeita entre duas marcas globais com uma inigualável reverência pelos artistas icónicos e respeito pelo serviço aos seus talentos criativos. Estamos entusiasmados por ser o parceiro mundial do novo álbum de Slash com Myles Kennedy e The Conspirators e esperamos entregar a sua nova música aos fãs em todo o mundo».

Chega dia 11 de Fevereiro mas, se estão ansiosos, os pre-orders estão disponíveis AQUI. “4” é um álbum de rock vibrante, alimentado por memoráveis licks e melodias de guitarra, grandes refrões e riffs ainda maiores, expandindo aquilo que fo feito no álbum anterior. Essa sensação surge logo no tema de abertura e primeiro single, “The River Is Rising” que foi apresentado.

Slash descreve a composição do tema, «Há duas ou três canções no disco que foram escritas durante a pandemia; tudo o resto foi escrito antes. “The River is Rising” foi uma das últimas canções que escrevi, antes de começarmos a pré-produção, e por ser soar tão nova e ter um certo groove e energia, foi a primeira coisa que realmente atacámos. É a canção mais recente do disco, e quanto à parte em que dobrámos o tempo, isso foi algo que me lembrei de fazer e que marcou o final do arranjo. Depois, quando estivemos no RCA, Dave o Cobb sugeriu que o fizéssemos logo após a ruptura. Então, fomos directamente para a parte rápida e eu comecei a fazer o solo de guitarra por cima dela. Foi uma daquelas coisas em que estávamos a improvisar, a tentar pescar o arranjo, e simplesmente aconteceu».

Myles Kennedy acrescenta: «A letra acaba por explorar como os humanos podem ter o cérebro lavado ou doutrinado por algum tipo de ideia perigosa. Depois de ouvirmos a demo algumas vezes, pessoalmente senti-me confiante de que tínhamos o tema para abrir o álbum. Para mim, é uma malha significativa». Os cinco músicos viajaram para Nashville e gravaram no histórico RCA Studio A, com o produtor Dave Cobb (Chris Stapleton, John Prine, Jason Isbell, Brandi Carlile), revelando um novo som com tudo captado ao vivo no estúdio. Cobb partilhou o desejo da banda de gravar em takes directos, incluindo solos de guitarra e vozes – uma estreia para o grupo, esta metodologia.

Para “4”, como referido, Slash e a banda viajaram juntos para Nashville e gravaram no histórico estúdio A da RCA com o produtor Dave Cobb (Chris Stapleton, John Prine, Jason Isbell, Brandi Carlile). Cobb e a banda concordaram em gravar os temas em live take, incluindo os solos de guitarra e vozes – uma estreia para o grupo – procurando dotar o disco de um dinamismo mais orgânico. Em Dezembro chegou a balada, “Fill My World”. Canção “orelhuda” que cai no goto e que parece confirmar que esses intentos de produção foram atingidos.

Os formatos de edição de “4” incluem o exuberante Deluxe Vinyl Box Set, com vinil de 140g em gatefolds de quatro cores (Preto, Vermelho, Azul e Roxo), distribuídas de forma aleatória, com um O-card, uma palheta de guitarra e uma miniatura da Axe Heaven Custom Limited Edition 4 Slash Les Paul; um softpack de CD numa das quatro cores acima (também aleatórias), o O-card e uma palheta de guitarra; uma cassete com um ensaio ao vivo exclusivo de 4 canções, intitulado “Live Rehearsal Tape 5/28/21”, um livro de fotografias de 36 páginas, incluindo uma entrevista aos músicos e letras escritas à mão, um patch, uma litografia assinada (limitada às primeiras 500 cópias) e uma caixa de palhetas personalizadas. Está também disponível em CD Deluxe Box Set, em Cassete e edições normais em vinil e CD.

E, uma vez que “4” será o primeiro álbum a ser editado na recente Gibson Records e a isso juntarem a longa colaboração entre Slash e a lendária marca de guitarras, não é surpreendente que a Gibson tenha aproveitado para criar um instrumento alusivo ao disco. A Slash Les Paul Standard 4 Album Edition será estreada no dia de edição do disco. Apenas 250 destas guitarras foram construídas e estarão disponíveis mundialmente. Além dos aspectos visuais, não é possível descrever categoricamente as características da guitarra, contudo, não devem fugir muito das especificações, componentes e materiais que surgem nos modelos da Gibson Slash Collection.

Os álbuns anteriores da banda – “Apocalyptic Love”, “World On Fire” e “Living The Dream” – têm seguido uma trajectória ascendente, todos atingindo o Top5 das tabelas Billboard, nos EUA, e atingindo o Top10 em numa dúzia das tabelas principais em todo o mundo. Uma esperança para a música rock, afinal muito recentemente a Billboard revelou a lista das 50 músicas do género mais tocadas na última década e o rock, propriamente dito, está fora de um Top10 entregue a grupos como Imagine Dragons, Panic! At the Disco, Twenty One Pilots ou The Lumineers. É bom recordar que a lista tomou em consideração dados de visualizações no YouTube, números plataformas de streaming e vendas, digitais e físicas.

Com o novo malhão eléctrico, editado dia 14 de Janeiro, que é “Call Of The Dogs”, Slash parece pronto para reinvidicar a importância da guitarra eléctrica no mundo. A partir de dia 11 de Fevereiro, teremos uma ideia melhor…

Leave a Reply